Programas de TV para pessoas (quase) sem cérebro

somente um passatempo que aciona nosso cérebro no status zumbi mode on e nos diverte como crianças assistindo o Teletubbies.

Antigamente eu era do tipo que sentava no sofá em pleno domingo para assistir a esses programas sem conteúdo que ainda passam hoje em dia, como aquele Repórter Record, SBT Repórter, Globo Repórter, WTF Repórter e essas merdas todas, e eles sempre tinham uma matéria que mostra o sofrimento de fulano e cicrano no interior de um lugar onde vento faz a curva e Judas perdeu as calças, enfim, sempre um lugar longe de tudo e de todos, e esses caras vão lá, cruzam rios, lagos, matas fechadas e etc. com suas câmeras e seus microfones em punho. OK, até ai tudo bem, eles vão fazer o trabalho deles, uma reportagem e blá blá blá. Certo, mas sempre pensei, esses caras vão lá veem que as pessoas estão na merda, no fundo do poço e tal, e filmam, dramatizam a matéria, fazem de tudo pra sensibilizar seu público, e penso “O que eu ganho assistindo essa matéria, mostrando o sofrimento de pessoas que mal tem o de comer!?”, pode ser que eles tenham a intenção de me fazerem refletir na vida boa que levo na cidade grande se comparada com a vida desse povo. Só que eles fazem mostram vááários casos desse tipo por semana, será que já não é incentivo demais à reflexão!? Então resumo aqui, eu não ganho NADA assistindo a esses programas, agradeço por me fazerem refletir na vida que levo aqui, mas já basta, toda semana tem uma matéria com o mesmo enredo, e eu creio também que os pobres coitados e muitas vezes iletrados “protagonistas” destas matérias também não ganham nada além de dó e compaixão de todo público que assiste, sem contar a exposição de sua vida pessoal miserável, eu fico puto mesmo é com esses repórteres que vão lá fazer essas matérias e são os únicos que realmente ganham alguma coisa com essa merda toda! Eu realmente não entendo como eles podem ser tão hipócritas de irem num lugar com a intenção de mostrar (e lucrar com) a história de pessoas cujo futuro é incerto. Eles chegam entrevistam mostram do que a pessoa veste ao que ela come (ou não veste, ou não come), mostram a intimidade de suas precárias moradias, tem a audácia de usarem a frase “(…) na sua casa tem televisão, mas não tem banheiro (…)” e ai mostram o lugar onde a pessoa faz as suas necessidades! Gente que falta de vergonha na cara desses repórteres viu!
Esses “programas de domingo” sensacionalistas, acho que posso chama-los assim, parecem ter prazer em mostrar o sofrimento alheio, isso lhes trás lucro é claro, pois o público alienado assiste sem raciocinar, como disse o Fred do PdH neste texto , estes programas “[são] somente um passatempo que aciona nosso cérebro no status zumbi mode on e nos diverte como crianças assistindo o Teletubbies.” Só que ao contrário das novelas estes programas sempre tem um roteiro novo e sem fim, a cada episodio uma história diferente, uma família diferente, e muitas vezes as mesmas condições de vida.
Eu sempre me fiz a ingênua pergunta: “Por que estes repórteres não ajudam estas pessoas que tanto sofrem?!” Que fosse pelo menos uma ajuda de custo em forma de “cachê”, pois eles são os protagonistas de suas matérias dramáticas e sensibilizadoras.
Enfim, são só alguns devaneios revoltados com esses programas aproveitadores da inocência de pessoas humildes que moram nas entranhas profundas desse nosso Brasil.

O texto ficou confuso, mas espero que quem ler entenda a mensagem, Obrigado. (;

Cérebro: Utilize-o da forma correta. Pense!

E pra todos esses programas... leia os lábios. 😉

Anúncios

Vi no tumblr.

Vi no tumblr

“Ele: Por que vocês, meninas, ligam tanto pra aparência?
Ela: Porquê vocês, meninos, se apaixonam pelo que vêem.”

Eu me apaixono pelo que sinto. A aparência é só um anexo da personalidade de cada um, pode ser ter personalidade mesmo que a aparência não seja lá essas coisas. (FRS)