Sorte de hoje (segundo o orkut 23/07/2010)

Sorte de hoje: A auto-confiança é o primeiro requisito para grandes realizações.

Anúncios

Paradoxal

Bom, eu estou começando a gostar de escrever… E as vezes quero escrever sobre tudo, mas ao mesmo tempo não quero, é estranho… as quando abro a caixa de texto, as palavras simplesmente saem, como se eu abrisse uma válvula de escape, e elas saíssem pelos meus dedos.. (coisa bizarra) mas é assim mesmo.. ainda estou me acostumando com isso, e também não sou obrigado a escrever aqui, apenas escrevo por que… sei lá por que, mas é bom, me faz sentir bem, aliviado… 🙂 Eu recomendo.

Bom, mas palavras escritas não dizem tudo meus caros! A palavras precisam de complementos para serem totalmente compreendidas, por exemplo, me imagine/visualize em sua mente, recitando este texto que aqui lê, imagine então o meu tom de voz, , a minha postura, que/quais gestos eu faria para complementá-lo/demonstrá-lo; é aparentemente simples a primeira vista, mas quando se começa este exercício de imaginação/visualização se percebe a complexidade de tal feito, mas logo que pegar jeito, ai sim, será tão simples como sentar-se e assistir o próprio autor e/ou a personagem do texto contando-lhe o que se passa no texto;  não se prenda a praticar este exercício apenas neste texto, o aplique em todos os tipo de leitura, seja de uma pequena frase ou de um livro de 500 páginas, exercite.

Eu parei duas vezes ao escrever este texto (por motivos especiais), e nas duas eu pensei em apagar tudo e tentar começar de novo, é muito complexo de se explicar, quando parece que se tem uma “pulguinha atrás da orelha” que sempre dá uma opinião contrária, que segundo Freud, o chamaríamos de complexo superego(CSE), esta definição é usada na Teoria do Vínculo¹, lá o CSE é colocado na seguinte ideia: uma relação entre duas pessoas, por exemplo uma simples conversa ou uma entrevista, dois corpos, dois seres, porém ele diz que há um terceiro, que interfere, olhando, vigiando, corrigindo…

“em todo vínculo há uma presença sensorial corpórea dos dois, mas há um personagem que está interferindo sempre em toda relação humana, que é o terceiro. Sempre há alguém na mente de um ou outro que está olhando, vigiando e corrigindo”¹

Só que isso de relação humana e tal, não vem ao caso, aqui só entra ideia do CSE, ele sempre está lá, no meu caso, o meu julgaria tudo o que eu escrevo, e corrigiria tudo, ou seja, se fosse por ele, não teria texto, por que “correção” aqui eu diria que é o mesmo que “apagar tudo”, MAS eu estou indo contra ele, não volto atrás, e só uso backspace para erros ortográficos… Enfim… não sou o mais indicado para falar de CSE, não mesmo, apenas tô tentando aplicá-lo da forma que eu compreendi.

Obrigado meus caros e minhas caras, por mais uma vez dedicar o seu preciosíssimo tempo para fazer a leitura deste texto. Grande Abraço a todos. E um abraço especial para Klara, a quem devo agradecer todo o amor, confiança e amizade que tem por mim, saiba que é recíproco! Tem muito mais… mas não caberia aqui… ♥

Me sinto bem melhor agora!

Até mais pessoal!

😉

____________________________________________

Referências:

1 – Teoria Do Vinculo e Constelação Familiar: <Link>

Homenagem ao Cadáver Desconhecido

Ao curvar-te com a lâmina rija de teu bisturi sobre o cadáver desconhecido, lembra-te que este corpo nasceu do amor de duas almas; cresceu embalado pela fé e esperança daquela que em seu seio o agasalhou, sorriu e sonhou os mesmo sonhos das crianças e dos  jovens; por certo amou e foi amado e sentiu saudades dos outros que partiram, acalentou um amanhã feliz e agora jaz na fria lousa, sem que por ele tivesse derramado uma lágrima sequer, sem que tivesse uma só prece. Seu nome só Deus o sabe; mas o destino inexorável deu-lhe o poder e a grandeza de servir a humanidade que por ele passou indiferente

Ao cadáver, respeito e agradecimento.
Rokitansky (1876)

_____________________________________

Eu sempre me arrepio ao ler este texto. Sem mais.

Aaah os 18…

Bom, vamos lá, mais uma vez… Opa,  mais uma vez não! Pela primeira, e ÚNICA vez na vida, os 18 anos “tão esperados”  e também pela “la liberté et la responsabilité”… Mas calma lá né… Hoje me perguntaram “Como é ter 18 anos?”, eu simplesmente respondi “Não é nada demais…”, mas depois eu fiz uma rápida reflexão do que realmente significa completas 18 anos,  é quando as pessoas costumam te falar de responsabilidade e “tomar conta do próprio nariz”, essas coisas que são adquiridas com o tempo… enfim, com a responsabilidade não preciso me preocupar, vejo esse negocio de ‘responsabilidade’ como maturidade psicológica, independente da idade, eu poderia ter 16 de idade física, mas  poderia ter uma cabeça de 18, ou vice-versa, isso vai da pessoa… enfim… E é sempre bom ter algum juízo extra…

Hoje eu não estou muito bom com as palavras, e insisto em usar a expressão “em poucas palavras… é isso”…

Agradeço a minha família, em especial a minha avó, meu avô e a minha mãe, que cuidam de mim e sem desmerecimento de ninguém aos meus tios e tias, que também sempre cuidaram de mim, e me ajudaram a ser a pessoa que sou hoje! ^^Aos meus amigos, mando um grande abraço para todos e para cada um! Agradeço também por todas as palavras de carinho e amor. Agradeço ao destino por estar me proporcionando experiências tão boas e novas, de ordem totalmente aleatória e que fim no sim faz todo sentido, para mim não há coisa mais impressionante do que esses tipos de acontecimentos em que o ‘inicio’ só tem sentido quando se chega ao ‘fim’.

E por fim, eu creio fortemente que o que eu escrevi não faz muito sentido, pois o que eu escrevo aqui vem de palavras aleatórias de um conhecimento bem prévio, e organizadas da melhor forma possível, mas pessoas maravilindas que leram este post, meu agradecimento a vocês, pois se você esta lendo este texto, seja por curiosidade ou por recomendação (recomendação?), você gastou uma coisa que irrecuperável: o tempo, sejam lá os 5, 10 ou 15 minutos gastos aqui, não importa, eles não voltarão. E não espero que seja uma leitura inútil, pois proponho uma reflexão a você leitores: O que é o tempo?

O que eu quero dizer é que o tempo deve ser mais bem aproveitado, seja lá com quem for que você esteja, aproveite o momento, diga o que tiver para dizer, não guarde, seja sempre sincero; pois esses momentos, essas chances, NÃO VOLTAM, eu digo isso pois aprendi, quantas vezes eu desperdicei momentos e chances, hoje eu sei a importância que se tem em praticar estas ações, que aparentemente parecem muito complexas, mas não são tanto assim quanto se pensa, tudo com um bom diálogo podem-se resolver situações embaraçadas.

E é isso, até que foram “em muitas palavras… é isso”. (risos)

Portanto pessoas maravilindas, Carpe Diem!

Acaba por aqui… mas se você, meu querido leitor quiser, pode continuar com a leitura. Um grandíssimo abraço.

.

.

Extras:

In “Odes” (I,, 11.8) Horácio (65 – 8 AC):

Tu ne quaesieris, scire nefas, quem mihi, quem tibi finem di dederint, Leuconoe, nec Babylonios temptaris numeros. ut melius, quidquid erit, pati. seu pluris hiemes seu tribuit Iuppiter ultimam, quae nunc oppositis debilitat pumicibus mare Tyrrhenum: sapias, vina liques et spatio brevi spem longam reseces. dum loquimur, fugerit invida aetas: carpe diem quam minimum credula postero.

Tradução:

Tu não procures – não é lícito saber – qual sorte a mim qual a ti os deuses tenham dado, Leuconoe, e as cabalas babiloneses não investigues. Quão melhor é viver aquilo que será, sejam muitos os invernos que Júpiter te atribuiu, ou seja o último este, que contra a rocha extenua o Tirreno: sê sábia, filtra o vinho e encurta a esperança, pois a vida é breve. Enquanto falamos, terá fugido ávido o tempo: Colhe o instante, sem confiar no amanhã.
.
E para finalizar como disse Mário Quintana:
O Tempo

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado…
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas…
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo…
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.
.
****

“E realmente, o tempo não volta, o tempo não pára, e a vida, como diria Cazuza, é breve. Vida louca, vida breve…
Portanto, nunca deixe nada para depois, para amanhã, pois o futuro é incerto e desconhecido de todos…
Faça, aja, viva, ainda que erre, mas nunca, nunca mesmo, deixe para depois.”

****

.

.

Felipe Ribeiro.

🙂