Simplesmente dor.

dor (ô) sf. 1. Med. Sensação de sofrimento, decorrente de lesão e percebida por formações nervosas especializadas. 2. Mágoa, pesar.”

Aurélio

A dor é um mecanismo protetor.

Guyton

Será mesmo a dor só isso?! Eu não sei responder a essa pergunta, a dor faz parte do ser humano, isso é óbvio, mas não faz parte só do ser humano, mas de todos os seres vivos, enfim, a dor pra mim é uma coisa bem mais complexa, mas ao mesmo tempo bem simples. Pois o conceito de dor varia muito de pessoa pra pessoa, o que é dor para um pode ser prazer para outro e assim vai. Primeiro vou tentar contextualizar a dor, que não seria apenas a dor física, por que essa é tratável e muitas vezes facilmente extinta, então focarei o texto em outro tipo de dor, que popularmente chamamos de “dores do coração”, dores que vem dos sentimentos, da quebra de vínculos, do fim de relacionamentos, de amores perdidos, de parentes e amigos que já se foram, essas dores existem, e não há remédio no mundo que as faça sumir, você pode muito bem deixá-la de lado, simplesmente não pensar nela, mas ela sempre estará lá, quer você queira ou não. Mas então o que fazer?!

Aprenda a conviver com ela, simples assim. Não, não é tão simples assim, uns sentem a dor e se tratam de uma forma ou de outra, uns tomam comprimidos, drogas e afins, outros não tratam e entregam os pontos, se deixam vencer pela dor e fim, mas há outros que mesmo com dor se erguem. Falemos então desses resilientes que continuam suas vidas, que ignoram a dor, ou a tomam como um aprendizado e fazem dela sua parceira de superação, que ao invés de acordar e pensar “ah, essa dor chata de novo!” acordam e dão bom dia para ela. Por que não fazer dessa dor sua motivação de cada dia, pois de alguma forma ou de outra, dependendo do motivo desta dor, ou eu creio que independente do motivo da dor, todo ser humano tem a capacidade de superá-la, dores do coração doem mais do que qualquer outro tipo de dor, isso é fato, estas dores podem deixar pessoas incapacitadas por um tempo, mas não são tão fortes ao ponto que possam incapacitar uma pessoa de VIVER, é nesse ponto que se reflete sobre a importância de ser ter sempre alguém ao seu lado, seja sua mãe, ou seu melhor amigo, ou até mesmo um desconhecido que lhe fale algumas palavras de motivação, pois o ser humano não foi criado para viver sozinho ou isolado, o ser humano tem a necessidade da convivência em grupo, em momentos de fragilidade ele na maioria das vezes dependerá de uma segunda opinião, para que se sinta seguro novamente.

Bom, eu to aprendendo a conviver com as minhas dores… O tempo que passar não vai me levá-las embora, mas me trará novas experiências e vivências que me ajudarão a amadurecer e assim aprender como conviver com elas.

______
P.S.: Klara, mais uma vez, eu agradeço de coração pelas suas palavras amigas nos meus momentos difíceis.