“Você pode mais do que acredita”

Vamos lá, há muito dias — muitos mesmo — eu desejo sentar e escrever alguma coisa, mas acho que agora vai…

Este texto será em primeira pessoa, é só um aviso.

Muitas pessoas próximas me falam a mesma coisa de diferentes formas: “Você pode mais do que acredita!”. Nesta última vez foi a minha namorada me falou.

“Você é um menino de ouro”; “Você é um anjo!”; “Você é vinho de outra pipa!”; “Acredite mais em si mesmo!”; “Você tem um potencial ainda não descoberto…”; “Homem de pouca fé…” e por ai vai… Tenho um sério complexo de inferioridade, e na maioria das vezes nego a mim mesmo todo esse (possível) potencial adormecido aqui dentro em algum lugar em meu âmago, que é percebido por muitas pessoas ao meu redor, mas eu mesmo tenho o evitado.

O objetivo deste texto é justamente a busca pelo despertar deste potencial adormecido.

A frase “Você pode mais do que acredita” sintetizou sem usar palavras difíceis todo o meu problema. Eu nunca acredito que serei capaz de grandes coisas, fico inseguro e dou pouca confiança a mim mesmo, ajo de modo pessimista e muitas vezes negativo, e acabo deixando passar oportunidades ou não aproveitando momentos de aprendizado – reconhecer estas perdas alimentam um processo de feedback positivo na geração de mais insegurança e diminuição da auto-confiança, que pode ser simplificado assim:

Insegurança e falta de auto-confiança > Atitudes pessimistas e-ou pensamentos negativos > Perda de oportunidades ou não aprendizado > Reconhecimento das perdas > + Insegurança e – (menos) auto-confiança > Atitudes pessimistas…. e entro num ciclo vicioso.

Já consegui melhorar e abortar diversas vezes esse processo, gastando muita energia e tempo, mas consegui.

Energia, pois há intenso desgaste nesse ciclo. E tempo, por impedir a continuidade de um processo evolutivo que deve ser constante, nota se que o processo de feedback positivo ele me torna um ser séssil.

Voltando ao assunto, já consegui abortar este ciclo vicioso muitas vezes, mas sempre acabo caindo nele de novo, e de novo, e de novo…. Diante do exposto, é como se houvesse dentro de mim uma fonte que sempre iniciará esse processo.

É neste ponto que prontamente vejo a necessidade de se buscar a solução. Primeiramente, devo reconhecer a autoria de todos esses processos negativos, ao mesmo passo que tenho a ciência de ter sempre alguma motivação externa (as frases acima), e depois abrir os olhos e aceitar que as pessoas devem ter razão ao falar essas coisas, que de fato que “Eu posso mais do que eu acredito”.

E pensando assim, acredito ter encontrado a “trava” que impedia essa aceitação há tanto tempo. O problema é a falta de aceitação e renúncia e acima de tudo Fé.

Aceitar que se pode mais do que se acredita, exige renúncia de muitas coisas e também (ainda mais) responsabilidades, como é dito no filme do Homem Aranha: “Grandes poderes exigem grandes responsabilidades”. E com isso vem o medo, e com o medo vem a insegurança, e com a insegurança não existe auto-confiança, logo nenhum êxito.

Mais uma vez se faz necessária a aceitação, neste momento eu devo aceitar que tenho medo de todo esse potencial e de assumir as grandes responsabilidades, que não nego já ter visto elas ao longe ou até bem próximas, mas a negação sempre foi muito “útil”. É preciso que eu aceite todo esse meu potencial e veja que ele também pode ser maior que esse medo, e assim renuncie este medo, e aceite todas responsabilidades (e consequências) como tem de ser. E Fé, que se faz sempre necessária, principalmente nos momentos em não se restam nem a mínima centelha de auto-confiança ou positividade, Deus e Jesus Cristo certamente estarão a espreita para nos sustentar, não é necessário gritar, até o menor suspiro por clemência e misericórdia é atendido quando feito com sinceridade.

Aceitar que tenho muito potencial, não que dizer que sou um “super-homem” e que passarei por todas as dificuldades com a cabeça erguida e sorridente (talvez isso até seja possível, mas vamos por partes hehe), significa dizer que dentro do meu “potencial” está uma das mais importantes potencialidades: a de aprender com as dificuldades, buscar soluções, ter resiliência e paciência para lidar com esses tipos de situação e a Fé em Deus e Jesus Cristo. Juntas dão todo suporte e constituem o botão “STOP” para o processo de feedback positivo que citei acima, transformando-o em um processo de feedback negativo que permite a evolução e continuidade da evolução, assim:

Insegurança e falta de auto-confiança > Atitudes pessimistas e-ou pensamentos negativos > Ter Fé e agir com resiliência e paciência e buscar soluções e aprendizado > Ganho de aprendizado >> processo negativado <<-> Evolução com tomada de decisão e-ou aplicação das soluções encontradas > Auto-confiança > + Fé + Aceitação e + Renuncia >>>>

E quase concluindo, vou trazer trazer uma síntese de um passagem do Evangelho segundo São Mateus (14, 23-33) em que Jesus caminha sobre as águas.

Pedro duvida da identidade dAquele que anda sobre as águas e pede para se aproximar andando também sobre as águas, Jesus o chama e ele vai, mas ao aumento da tormenta Pedro se amedronta e começa a afundar; Pedro, como pescador, sabidamente sabia nadar, mas ainda assim sentiu medo, pede socorro e tem de pronto apoio a mão de Jesus, com a seguinte resposta: “Homem de pouca fé, por que duvidaste?” Ao subirem na barca, o vento cessa e os discípulos à bordo reconhecem: “Tu és verdadeiramente o Filho de Deus.”

Só para refletir, quantas vezes eu fui esse “Homem de pouca fé”, que mesmo tendo a ciência das minhas potencialidades, não cri e afundei?

Portanto, eu aceito acreditar que posso sempre mais do que acredito!

PS: Minha eterna gratidão a todas as pessoas que sempre me motivaram e continuam a me motivar, vocês tem meu respeito e minha admiração.

Anúncios

…penso…

Por que penso?

_Penso por penso

__Ainda bem que penso,

___pois se não pensasse,

____não pensaria nestes pensamentos

Por que penso?

_Penso…

__Penso…

___E penso…

E como pensa o filósofo:

Penso… Penso… “Penso logo existo”…

Ou deixo de existir e ser apenas um…

_P___N___A___E____T

___E___S___M___N____O

______s

_________o

_____________l

_________________t

_____________________o

__________________________.

______________________________.

__________________________________.

 

de 29/09/2010

o trem da vida e suas estações

Creio que muitos já devem ter ouvido falar na metáfora de que a vida é como um trem. Particularmente, eu adoro analogias e exemplos simplórios para explicação de coisas extremamente complexas – como a vida por exemplo. 

De forma breve, vou explicar esta metáfora. A vida é como um trem, mas não um trem comum como o metrô, é um trem que tem seus trilhos construídos momentos antes da sua passagem – não há trilhos ou estações prontas, há de se construí-las. E assim é a vida, ao nascermos sairmos da nossa Estação Central – Mamãe, e assim seguimos. Os primeiros passageiros desse trem são os nossos familiares, que nos acompanharemos durante toda a viagem. Os momentos do dia-a-dia constituem as estações, e nestas estações várias pessoas decidem tomar o nosso trem, a entrada das pessoas no trem simboliza o conhecer novas pessoas. Vamos considerar que neste trem há vários vagões, e é claro você está no controle lá no primeiro vagão, sua família, amigos e pessoas mais próximas permaneceriam neste primeiro vagão, e nos outros vagões vão os colegas, os conhecidos e as pessoas por que se tem alguma consideração. Durante o percurso da vida, várias pessoas entram, e várias descem – o descer do trem simboliza duas coisas: o afastamento completo de outra pessoa, ou, infelizmente/naturalmente, a morte de um ente querido, amigo ou conhecido. Este trem segue uma viagem “sem rumo”, há momentos em que se sai dos trilhos, ou momentos em que não temos energia para seguir em frente. Tem horas que seguimos a vida como um trem desgovernado. O importante mesmo é aproveitar a viagem, vislumbrar as paisagens por quais se passa, usufruir das pausas, e por aí vai…

Uma coisa é certa, a última estação é uma só. Nesta estação, encontraremos todos que um dia passaram pelo trem de nossas vidas. Esta estação se chama morte.

Este texto não tem o objetivo de explicar nada, apenas de incitar alguma reflexão ao leitor.

 

Facebook

Acho que o Facebook agora é uma mistureba de todas as redes sociais e meios de comunicação. Tomou o lugar do Orkut, mostra o lugar em que as pessoas estão (Foursquare), diz o que elas estão pensando (Twitter), rodízio de imagens (interessantes, fofas, assustaras, “correntes” e mimimi) tirando a fama do bom e velho Tumblr (o famoso ‘Reblog’ de lá é a febre do ‘Compartilhe” daqui) e mais um monte de coisas que as redes sociais permitem (Fotos, vídeos, joguinho e nananan). Substituiu o MSN, antes eram 30 pessoas online lá e 5 aqui, hoje são 5 lá e 50+ aqui, além de ter invadido todos os celulares por aí a fora! Pois é, o Facebook evoluiu de uma forma quase que insuportável, nem sei por que ainda tenho o meu perfil, mas verdade seja dita, infelizmente atualmente ou você tem um perfil aqui ou ficará quase incomunicável dos seus meios sociais. Texto sem objetivo algum, só para expressar umas ideias meio bagunçadas sobre mais essa Rede Social. Facebook, o lugar onde 6 letras, valem mais que mil palavras. Curtiu? 😉